Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

inConfess@vel

Contos eróticos

e...finalmente

Setembro 20, 2021

pexels-photo-3521613.jpeg

 

Recebi uma sms da Rute

Tens reunião na quarta dia 13 ás 15 horas, no salão Scallabis.

Telefono-lhe.

Rute, Nessa reunião tenho que observar já as regras do manual que me deste?

A Rute responde de forma fria. Não Maria. É uma reunião informal, onde se vão conhecer e discutir entre vós os termos do contracto e definir as regras.

Está bem, obrigada Rute.

 

Desliguei o telemóvel

Respiro fundo, tenho dois dias,a expectativa dá cabo de mim, de certa forma preferia que fosse já, agora.

Encho o peito de ar e vou buscar os papeis que a Rute me deu logo ao inicio. Quero saber o que me espera com exactidão.

Quarta-feira, acordo cheia de energia, fui um bocado ao ginásio, subi ao quarto e tomei um banho. Não consegui almoçar nada de jeito, tenho um nervosa miudinho no estômago. A cabeça ás voltas com um misto de medo e de curiosidade. Medo de ser um velho gordo, com mãos gordurosas e sapudas ou então um homem mau, que me magoasse a sério, em que a dor física estaria sempre presente.

Ás 14.50h já estava no corredor á porta do salão.

Aguardei alguns minutos, limpei as palmas das mãos ás calças e bati á porta. Um duro entre não se fez esperar.

Abri a porta e vi, de costas para mim, um homem alto de estrutura normal, cabelo castanho e curto. Observava a rua pela janela, e tinha uma mão num bolso.

-Por favor Maria, senta-te.

E olha para mim.

Não acreditei no que vi.

Escolhi

Setembro 15, 2021

pexels-photo-8467519.jpeg

 

Acordo com uma mensagem da Rute, reunião as 10h.

Corro para o banho, preparo o corpo e a mente, já sei o que me espera e também já sei qual vou escolher, com dúvidas ...mas vou escolher o senhor que mais atenção me deu. O do cheiro, da água e do jantar fenomenal com tudo o que gosto.

Aguardo á porta do escritório da Rute, tenho as mãos a suar e estou um bocado nervosa.

 

-Maria, chama.

 

Entrei e sentei na cadeira em frente á secretária. A Rute, como de costume, foi directa ao assunto.

 

-Maria, ontem recebemos três propostas para ti, como já deves calcular pelas refeições deixadas no teu quarto.

Pretendo saber se já tens algum escolhido.

-Sim.

Respondo um bocado a medo, como quem diz, agora é que é! Já não há volta a dar.

 

A Rute continua:

Então temos o jantar de marisco, o hambúrguer ou o do sushi. Qual é? Maria?

Respiro e respondo – O de marisco

 

Muito bem diz a Rute, vou comunicar e agendar a vossa entrevista. Vais conhecer a pessoa, a sós. O que for conversado nessa reunião fica ente vós e depois Maria, depois vais decidir se continuas.

Continua muito séria, o teu mecena deixou esta Caixa para te ser entregue caso ele fosse o escolhido.

E coloca em cima da mesa uma caixa pequena castanha com ráfia á volta.

A nossa reunião está terminada Maria, a menos que queiras discutir outro assunto ou tenhas mais alguma dúvida.

-Nnnão. Digo a tremer e a sentir que estou a ser despachada.

 

Pego no embrulho e volto para o meu quarto. Deixo o embrulho em cima da cama, mas tenho coisas a fazer. Apesar de ser Domingo, precisava de trazer ainda alguns documentos de casa, as aulas estavam a começar e eu não sabia como seria a minha semana.

Retorno á noite. O embrulho ainda em cima da cama. Decido ir tomar um banho primeiro. A verdade é que estava com um medo enorme do que é que estava lá dentro.

Volto para o quarto de banho tomado. Abri finalmente o “presente”. Era um pequeno vibrador em curva, cor-de-rosa. Liguei e vi que vibrava das duas pontas, mas numa mais do que outra. Havia uma carta, do papel já conhecido e novamente escrita á mão. O mesmo perfume.

Maria, quando estiveres pronta para o usares, envia uma mensagem para este numero, tenho o comando comigo e vou dizer-te por mensagem o que quero que faças com ele.

É um daqueles sex toys com comando á distancia.

Ainda não me conhece e já está a tentar controlar? Não meu amigo, pensei, tens que merecer e tu ainda não fizeste o suficiente.

Deitei-me, estava a ser intransigente, eu sabia que sim. Já sentia a excitação na barriga, entre as pernas, nas mamas.

Abro as pernas e começo a esfregar o clitóris sem cuidado nenhum, queria vir-me rápido, a coisa não se dava. Levanto-me e vou buscar a espuma do cabelo.

No chão, encostada á cama penetro-me e com a outra mão estimulo o clitóris com dois dedos, com força e sem vergonha nenhuma.

Finalmente…sinto que escorro, satisfeita, aqueça sensação boa logo a seguir.

Enrosco-me na cama e adormeço. Adormeço com a costumeiro sensação de solidão e com o tal cheiro na memória.

Primeiro erro.

A escolha Óbvia

Agosto 26, 2021

 

pexels-photo-1548274.jpeg

 

 

Volto para a sala, fico a olhar desanimada, é que estou com fome. sento-me na cadeira e abro o envelope da segunda mesa, ao mesmo tempo que, meto uma bata frita na boca. Umm é mesmo boa.

Dentro do envelope, uma folha branca A4 dobrada, em letras também impressas:

 

Come

recupera as tuas forças

vais precisar delas 

 

o quê? Já esta a debitar ordens? nem pensar. Come....nem teve atenção aos meus gostos, é este um exemplo do que me espera com este homem? Bem na realidade nem sei se é homem, pode ser uma mulher. 

Next

Concentro a minha atenção e esperança na terceira e ultima mesa. Só pelo cheiro percebo logo que é frutos do mar. Adoro. Esta tem um grande abafador de cerâmica, por debaixo várias tigelas pequenas. Arroz de marisco, açorda também de marisco, sopa de berbigão, camarão preparado de varias maneiras, tigelas que parecem asiáticas, muitas cores e sabores, claro que também aqui está uma lagosta com uns pratinhos a volta. Molhos.

Pego no papel dobrado e escrito á mão leio:

 

Para ti

 

é a mesma letra e o mesmo tipo de papel que está perto da banheira. Apercebo-me que o papel tem um aroma qualquer, chego o papel ao nariz e inspiro. ! . É o mesmo cheiro que senti no salão quando um homem se colocou demasiado perto.

Pensei, é atrevido. Mas sabe agradar.

Passei então uns agradáveis momentos a apreciar e lambuzar os dedos com estes mariscos todos. Esta mesa tinha a particularidade de ter apenas água para beber, ao contrario das outras que trazem vinhos.

Fiquei um bocado incomodada, porquê apenas água?

A escolha parte I

Agosto 25, 2021

bew.jpg

 

 

vi... luz difusa, tinha umas velas acessas. Contei três mesinhas diferentes e havia velas acessas em todas. Três. Então quer dizer que fui escolhida por alguém.

Desviei o olhar e fui tomar banho, para minha surpresa tinha a banheira cheia e um cesto pequeno com sais de banho e óleos, lá dentro um pequeno cartão e ..."para ti"... escrito a mão.  Tenho a cabeça a mil a hora, estou cansada, a única coisa que quero é dormir e esquecer.

Dispo esta quase não roupa e mergulho na agua quente, escolho uns sais ao calhas, só queria tirar de mim o cheiro daquela salão. Fecho os olhos, não consigo relaxar. Esfrego o corpo com força, o óleo brilhante custa a sair. Preciso de me sentir eu, dos meus cheiros, do meu cabelo. A minha realidade esta a fugir, penso que estou a perder o controlo, tenho medo. Fiquei ali deitada a massajar os seios, estou tensa e os pensamentos deslizam para um introspecção.

Estou com medo ou estou ansiosa? Tenho mesmo receio ou o meu medo é outro? medo de gostar? Afinal como te sentes Maria? perguntei-me.

Senti fome e curiosidade, vou ver o que tenho ali. As informações que temos que dar, são bastante detalhadas, então tudo o que está ali deve de ser do meu agrado. De repente já não estou cansada, acabo de lavar o cabelo, embrulho o corpo numa toalha e ainda meio a pingar vou para a sala. Curiosa observo o que me enviaram.

Duas mesas tinham um envelope e a terceira tinha apenas um cartão dobrado ao meio.

Levanto a tampa da primeira, parece sushi, muitas formas e cores diferentes, não percebo muito disto, mas reconheço diferentes formas de preparo e apresentação. Muito chique mas fico de coração triste. Não gosto. Está nas minhas informações pessoais, porque é que me enviam alimentos que não gosto. Será algum recado escondido? No envelope em letras impressas:

Para seu deleite

espero estar consigo em breve

Next

Segunda mesa, um hambúrguer gigante, e diversos acompanhamentos, saladas, batatas fritas, uns legumes que não consigo identificar também fritos. Outra decepção, afinal as informações que dei não serviram para nada, este não teve em consideração os meus gostos, eu só gosto de um tipo de queijo e este hambúrguer tem um queijo que eu não gosto. Levanto-me e vou a janela, massajo o pescoço. Sinto-me sozinha, tão sozinha.

 

A cerimónia, feito.

Agosto 24, 2021

 

rope.jpg

 

Hora de trocar novamente de lugar, a ultima posição. Ao fundo da sala, de frente para a parede e de costas voltadas a tudo. Sei que estava ladeada por duas colunas e que deveria apoiar os braços, assim numa posição a modos que majestosa só que de costas. Pausa para o revirar de olhos do costume. Sinto as costas tensas e já me doí tudo, uma vontade enorme de me coçar. Nem descontrair o pescoço posso, já não vou aguentar muito mais.

O ar volta a mexer a minha volta, oiço conversas sobre as nádegas e pernas. Os comentários nem sempre são agradáveis, alguns são muito depreciativos. Deixo a mente divagar, estava quase. Concentro-me em decorar vozes e cheiros para depois não fazer asneira a escolher, se eu própria fosse escolhida por alguém, claro. Que arrogância Maria, pensei.

Sobressaltei-me, estava alguém muito perto do meu corpo, como que a provocar , tem o mesmo cheiro do outro do cadeirão, é o mesmo pensei, é atrevido e está a tentar provocar uma reacção. Eu sabia que podia acontecer, tinha sido avisada. O nosso poder de autocontrole era também avaliado, a compostura não se perdia nunca. Éramos gado, mas gado com classe!

Oiço o sinal de que a exposição tinha terminado. Sinto a mão do guia e preparo-me para caminhar. A saída estava longe e as minhas passadas seriam lentas e graciosas. Ou pelos menos assim treinei, tenho as pernas tão dormentes que não sei se de graciosa tenho alguma coisa. 

Palmas. Palmas! As pessoas estão a aplaudir...não sabia que ia acontecer. Senti orgulho e depois vergonha das minhas emoções, é tudo tão surreal.

Fecharam a porta atrás de nós. No salão de entrada estávamos nós os submissos e os guias. Tirámos finalmente as vendas. Silêncio.

Tal como eu, todos os outros estavam de rastos, com conflitos, aliviados, orgulhosos, tudo ao mesmo tempo e no fundo um medo. O medo de não ser escolhida por ninguém. É real. Contra tudo o que acredito e sei, a verdade, é que tenho medo.

Vamos para o quarto, caminhei com calma, com os sapatos e a venda numa mão enquanto que com a outra coçava aquele creme brilhante. Abri a porta do meu quarto e vi...

Estou a ser observada

Agosto 23, 2021

grey.jpg

 

Senti o ar agitar, estava alguém perto dos meus cabelos. O calor da respiração eriçou-me os pelos. Estou a ser observada, pensei, e de muito perto. A imagem de um velho gordo como um sapo passou pelos meus pensamentos, que posição de estar, a ser olhada, avaliada. Mais valia ter uma etiqueta com o preço! Os meus pensamentos do costume, se a Rute pudesse ler a minha mente. Concentrei-me para não revirar os olhos. Espera, ninguém me vê os olhos! Revirei os olhos várias vezes, porque podia. Senti-me um bocado infantil

A pessoa continuava a caminhar a minha volta, devagar, a tocar no cadeirão. Percebi que estava ao meu lado e para minha surpresa agachou-se. Era um homem, percebi pelo cheiro. Não sei se gostei ou não, do cheiro. 

Estava assustada, senti que era real, que era esta a minha realidade agora. Desamparada, a mercê de alguém. Continuava arrepiada, mas não era só por medo, era por estar excitada. Maria! pensei.

As minhas emoções provavelmente estavam espelhadas na minha face, nos lábios crispados e de certeza nos mamilos erectos. Ouvi um suspiro. Senti o ar quente no peito. Não era um suspiro bom, era de quem estava zangado.

 

a cerimónia continua

Maio 13, 2021

cerimonia2

Esta posição de pé é das mais cansativas mas também das mais poderosas, ou pelo menos eu sinto que estou poderosa. Foi um dos conselhos que recebi, saber quem sou e o que estou ali a fazer, ser segura e agir de acordo.
Na verdade, já estou com uma dor terrível nos gémeos e nas costas e estou em esforço. Não posso deixar de esboçar um pequeno sorriso, que fraude que és Maria!
Volto rapidamente a concentrar-me, é proibido demonstrar qualquer emoção.
Felizmente é altura de passar para o posto seguinte, no lado direito num cadeirão. Ia ficar deitada, numa aparente calma e descontracção.
Tenho alguma dificuldade em andar, coloco algum do meu peso na mão que me guia. Eu percebo que a troca de lugares é muito observada, o som das conversas para e consigo distinguir nitidamente o som dos saltos dos sapatos a bater no chão.
Recosto o corpo no cadeirão, fico um bocadinho incomodada porque percebo que não fui assim tão graciosa como deveria. Esta posição quase que dá para adormecer. É neste momento que acontece algo inesperado e que para mim, foi muito perturbador.

Mercado de gado...versão premium

Maio 11, 2021

mascara.jpg

 

O meu primeiro posto é no lado esquerdo de pé. Sinto as pernas bambas, coloco-me na posição, costas direitas, queixo para cima, a mão esquerda na anca e a perna direita ligeiramente para a frente. Foi-me dito que deveria ter sempre os músculos da barriga tensos e os das pernas também.
Penso que me esperam duas horas de tortura.
Concentro a minha atenção nos sons. Oiço passos, sinto a leve deslocação de ar sempre que alguem passa. O que será que estão a pensar de mim?
E o que é que eu penso deles? Sinto cheiros esquisitos, oiço as pessoas a respirar. Confesso que estou um bocado nauseada, para não dizer enojada.
O tempo passou, está na hora de trocar de lugar. O segundo é no centro, sentada num cadeirão, costas direitas e as pernas levemente esticadas. Tento manter uma postura serena. Não posso deixar de pensar que aquilo é um mercado de gado e que faço parte da manada de vacas expostas para serem compradas ao melhor preço.
Com raiva percebo que estou excitada e que tenho os mamilos duros. -Então sentes-te exposta e humilhada...mas gostas.
É o que penso para mim mesma, é contraditório e dói um bocado a análise. Talvez por isso tenha sido escolhida, viram em mim material a explorar. Provavelmente sou feita para isto e não sabia.
Hora de ir para outro lado, outra vez de pé. Bem direita, com os braços atras das costas e as pernas abertas. É uma posição muito sugestiva, que evidencia os seios. É incómoda, mas uma das minhas preferidas. Sinto os cabelos na nuca todos arrepiados, aquela certeza de que estão a olhar para mim.

e fui...

Maio 06, 2021

fui

Acordei, como uma miúda que ia para um passeio de escola. Ansiosa, contente e cheia de energia. A meio do banho matinal caí em mim.
-Estas tão contente porque quê mulher? por ires sofrer?
Fiquei com medo do que aí vinha, de ser maltratada, de não ser escolhida e ao mesmo tempo de ter um pretendente.
Sentia um desconforto no estômago, como um mau presságio. Vontade de fugir e ao mesmo tempo de ficar. Depois de uma semana já devia de estar mais segura do que ia fazer, mas não.
A manha foi passada a rever a cerimónia, tirar dúvidas e fazer a prova final da roupa, de tarde a Rute esclareceu os pormenores finais da cerimónia e do que ia encontrar quando voltasse para o quarto.
Sete horas da noite, estou com o cabeleireiro, a senhora das unhas e o maquilhador está ali ao canto à espera. Unhas vermelhas, é obrigatório. O cabelo preso atrás, nem sei bem como... ao espelho parece que de repente me cresceu uma cabeleira inteira. Está giro, gosto.
O maquilhador vinha com as ordens já definidas, recuso a maquilhagem muito carregada e nem pensar em pôr aquelas pestanas postiças. A Rute lá tentou, mas levou com um,
-Com esses coisas nos olhos, não vou a lado nenhum. Vou estar com venda nos olhos, certo?
Afastasse com o revirar de olhos que começo a conhecer.
 
É agora, estamos em fila na entrada do salão, sinto frio e estou arrepiada. Se não fosse pela mão que me guia já teria caído, tenho as pernas que nem gelatina, o creme que me colocaram no corpo brilha. Incomoda e sinto-me envergonhada.
 
Colocam as vendas, fodasse que falta de ar!
 
As portas abrem, oiço uma música suave e muito baixa. O burburinho de vozes cessa.

Não sei, ou melhor, saber até sei

Maio 04, 2021

saber ate sei

 

Eu disse à Rute que não sabia, mas se calhar até sei. Sei que provavelmente vou aguentar e que até vou gostar da cerimónia. A minha dúvida está se serei boa o suficiente, se serei escolhida e mesmo a ser escolhida, será por um velho ranhoso que depois de despido faz uma triste figura?
 
Abafei os sentimentos negativos e a certeza de que me estava a prostituir.
 
Durante o resto do dia houve mais uma secção de treinos e depois dediquei-me a praticar as poses no espelho. Nem pareço eu, tão produzida, não, não é bem esta palavra, tão…cuidada. Esta é a palavra certa, raros momentos da minha vida estive tão bem cuidada, cabelo, pele, os lábios. O resto também está macio, macio.
 
Novas sensações, só o ato de andar excita, tomar banho, vestir, aplicar creme, tudo me faz sentir coisas novas. 
 
Não consigo evitar pensar que não vou permitir o toque de um qualquer. A psicóloga avisou, não aconselho a apaixonares-te. Neste mundo, isso não bom.
 
Vou dormir, tenho que descansar. Começo a tentar relaxar… e se? 
 
Dispo-me.
É tão estranho não sentir os pelos, consigo explorar cada ruga, cada prega. Os lábios interiores parecem.me muito mais expostos e o clitóris muito maior. Penso no que realmente gosto..se gosto de penetração, se o sexo oral é bom. Com as ideias fixas no que se aproxima, o sexo que já tive parece morno e sem graça nenhuma. 
Quero estar toda excitada, sentir que dou tesão, experimentar o poder da sedução...
- oh! Maria, a quem estás tu a tentar enganar?

Pontos nos i, ou não.

Julho 24, 2020

jan draws 12.jpg

Imagem de Jan Draws

 

O treino prossegue, recebo no final um recado a dizer que é solicitada a minha presença numa reunião na manhã seguinte....

E lá vou eu, estômago apertado, com medo de ser dispensada e ao mesmo tempo com vontade de ficar.

Bato á porta

Oiço um, -entre. Seco, era a voz da Rute.

-Bom dia Maria

Respondo um bom dia baixo e seguro. Os meu olhos indicavam desafio, mantive uma postura direita e rígida. Se era para ser dispensada, iria ser com dignidade.

-Maria....começa a dizer a Rute com um suspiro á mistura. Vou esclarecer pela ultima vez. Os estudantes que participam neste projecto, são para nós e para os mecenas, pessoas que muito estimamos, respeitamos e valorizamos. Nunca vos será dado as "sobras" como sugeriste no ensaio ontem.

Os submissos...têm para nós um valor incalculável, tudo gira á vossa volta. 

Sabemos a tua luta interna e não és a única a pensar assim. Muitos sub também se debatem com as mesmas dúvidas e são muito melhores assim. Pessoas fortes, são esses submissos que dão mais prazer ao dominador.

A Rute prossegue com a retórica.

-Podes por de lado de uma vez por todas esse teu lado defensivo e abraçares este projecto com todas as tuas forças?

Respondi:

Não sei, não sei se a dada altura não vou retirar a venda e sair dali para fora, e mais a frente também não sei se vou obedecer ou mandar algum dominador para o caralho.

-Não sei Rute.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D